segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Primeiro vinho DOP sem sulfitos promete acabar com as dores de cabeça do dia seguinte

O mentor deste vinho é o director comercial da Casa Agrícola Roboredo Madeira (CARM), Filipe Madeira, que à agência Lusa explicou que os efeitos deste 'alergénico' - referindo-se aos sulfitos, mais conhecido por enxofre - são os responsáveis pelas dores de cabeça que muitas pessoas sentem ao acordar, após o consumo de vinho no dia anterior.


O novo CARM DOP Douro é um vinho de 2009, proveniente de uvas 100% Touriga Nacional, a casta escolhida pela empresa de Almendra (Vila Nova de Foz Côa), para experimentar este novo método.

O vinho foi aprovado pelo Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP), num processo de certificação que, segundo Filipe Madeira, obrigou a duas tentativas no painel de provas que considera os novos vinhos DOP Douro.

Bento Amaral, Chefe da Câmara de Provadores do IVDP, não tem conhecimento de um outro vinho que tenha sido lançado «com estas características e aprovado como DOP a nível nacional».

Para conservar este vinho sem a adição do sulfuroso, Filipe Madeira (mentor do projeto juntamente com o enólogo António Ribeiro) contou que segue uma «metodologia específica de produção», nomeadamente o «cuidado a ter com a atmosfera controlada, sem oxigénio, em todo o processo», que vai desde a fermentação ao engarrafamento.

«A cultura biológica sempre foi uma aposta da família», sustentou Filipe Madeira, que acredita que este é um vinho com «valor acrescentado para o Douro», e que os vinhos sem sulfuroso vão ser «necessariamente o futuro».

A empresa CARM foi criada em 1999, «para trabalhar com a herança das propriedades de vários séculos da família», contou à Lusa o fundador, Celso Madeira.

«Fomos talvez a primeira entidade a apostar nos vinhos do Douro Superior, com uma vinha de muito alto rendimento plantada já em 1965, quando os vinhos do Porto e do Douro eram fundamentalmente produzidos do Pocinho para baixo», quando ainda ninguém falava nesta região, recordou.

Para a vindima que se segue, já em Setembro, a CARM pensa aumentar a produção dos seus vinhos sem adição de sulfuroso para os cinquenta por cento da colheita total.
Enviar um comentário