quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

BIC comemora 60 anos com edição em ouro e prata

Esferográficas simples e baratas, no seu 60º aniversário as BIC  vestem-se de ouro e prata para festejarem com pompa. A BIC dourada tem tinta azul, enquanto a prateada escreve a preto.
Ao longo do tempo a BIC Cristal tornou-se numa esferográfica de culto e conquistou mesmo o estatuto de obra de arte, fazendo parte da colecção permanente do Museu de Arte Moderna em Nova Iorque (MoMA) e o Museu Nacional de Arte Moderna do Centro Georges Pompidou, em Paris.
A BIC Cristal surgiu quando o Barão Marcel Bich criou uma empresa que fabricava peças para instrumentos de escrita em Clichy. Ao aperceber-se de que estavam a surgir no mercado várias canetas esferográficas que conferiam grande velocidade à escrita teve noção de que poderiam revolucionar as canetas.
Com esse intuito, Marcel Bich comprou a patente da caneta desenvolvida pelo húngaro Laszlo Biro e iniciou a procura pela fórmula de tinta ideal e o encaixe perfeito entre a esfera e o tubo de tinta, utilizando as habilidades de relojoeiros suíços.
Após trabalhar intensivamente durante vários anos e colocar todo o capital da empresa em risco, o produto sairia da fábrica em Dezembro de 1950.
10.000 canetas BIC Cristal foram vendidas diariamente no primeiro ano de produção e actualmente vários milhares são vendidas todos os dias.
No início dos anos 60, a BIC Cristal instalou-se permanentemente nas casas, nos escritórios, e nas lojas, transformando-se num produto tão universal.
SOL
Enviar um comentário