terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Crise financeira

A crise financeira terá custado 30 milhões de empregos a nível mundial entre 2007 e 2009, com a vaga de austeridade que os governos estão a aplicar a prejudicar ainda mais a recuperação do emprego, dizem as Nações Unidas.
"Entre 2007 e o final de 2009, perderam-se pelo menos 30 milhões de empregos a nível mundial como resultado da crise financeira", diz o ‘World Economic Situation and Prospects 2011’ da Conferência das Nações Unidas sobre o Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD).
Este relatório aponta que a taxa média de desemprego na zona euro terá ficado nos 10,1 por cento em 2010, apesar de algumas melhorias verificadas no mercado de trabalho da Alemanha, comparado com 7,5 por cento registados antes da crise eclodir.
Nos Estados Unidos, as Nações Unidas esperam que a taxa de desemprego cresça até aos 10 por cento no início deste ano, e que demore muitos anos para que o emprego regresse aos níveis pré-crise.
A UNCTAD sublinha que o elevado desemprego implicará maiores constrangimentos no consumo privado, que por sua vez irá prejudicar o crescimento das economias.
ionline
Enviar um comentário