quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Sete mil milhões de pessoas em 2011

Registam-se actualmente 6.934 milhões de seres humanos a viver no planeta, ou seja, mais do que há 50 anos. No entanto, as Nações Unidas avançam que ao longo de 2011, o valor ultrapassará os sete mil milhões e, segundo as previsões, o número alcançará os nove mil milhões durante a metade deste século.

Estes números põem em causa a incapacidade de suportar recursos naturais para todos. Já uma antiga teoria de 1798, de Thomas Malthus, sustentava que a população iria crescer de forma a não acompanhar os recursos e que, por causa disso, aumentariam as guerras, epidemias, a fome entre os pobres para alcançar o equilíbrio
.

 
Um documento apresentado em Hannover (Alemanha) relembra esta semana que nascem 2,6 crianças por segundo, sendo que 82 por cento dessa população vive em países em desenvolvimento. Em África cresce a maior ritmo.

Prevê-se que a população africana alcance os dois milhões em 2050 – que equivale ao dobro de 2010. A maioria dos países africanos já não produz o suficiente para os seus habitantes. E a pobreza do continente poderia ser reduzida até a uma quinta parte, caso não ocorressem gravidezes indesejadas.

Acredita-se que chegaremos aos nove mil milhões, mas a estabilidade não depende apenas do planeamento familiar, mas sim da diminuição da pobreza e do equilíbrio dos recursos.
www.cienciahoje.pt/
Enviar um comentário